Apresentação

Este é o 3º Seminário Internacional América Latina: conflitos e políticas contemporâneasSIALAT 2020 organizado pela Universidade Federal do Pará/UFPA, através do Núcleo de Altos Estudos Amazônicos, em seu Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido, e do Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Iniciativa do Grupo de Pesquisa Estado, Trabalho, Território e Mercados Globalizados/GETTAM, este projeto ampliou-se e enriqueceu-se graças às parcerias com centros e redes de pesquisa de vários países da América Latina.

Quando iniciamos a organização do 3º SIALAT, em fevereiro de 2020, não imaginávamos os impasses dolorosos que teríamos de enfrentar no bojo de uma crise sanitária aguda, devido a pandemia de Coronavirus que nos atingiria a todos, no planeta. Crise esta que teve desdobramentos terríveis na América Latina, mostrando a sua vulnerabilidade múltipla, desde os impasses à democracia com governos autoritários e até de extrema direita, com políticas negacionistas dos direitos e da ordem democrática, seja pela violência contra as diferenças de classe, de gênero e de raça, seja pelos problemas relacionados à pobreza, à desigualdade e ao ambiente, em plena pandemia. Inúmeros países, como Brasil, Peru e Colômbia amargam as altas taxas de vidas perdidas para a Covid19, como epicentro da doença no mundo, e justamente escancaram as feridas abertas da vergonha da exclusão social; e os problemas decorrentes da desigualdade social aguda, e que se perpetuam pelas estratégias impeditivas do acesso aos bens e serviços, à saúde, ao emprego e à renda, seja nas cidades, no campo ou nas aldeias. Sinalizam que esses problemas são marcas da herança colonial e escravocrata do processo secular de espoliação da natureza e do trabalho, correntes nas sociedades latino-americanas.

O objetivo do seminário foi de abrir um espaço de debate sobre os processos políticos e sociais, os conflitos e os desafios contemporâneos na América Latina, considerando as perspectivas críticas que permitam resituar, continuamente, o campo epistemológico e as interpretações sobre suas sociedades.

Debate e a análise de situações comuns que ocorrem em muitos países da América Latina, com base em resultados de pesquisas produzidas em universidades, em institutos de pesquisa, em programas de pós-graduação, mas também vindo do conhecimento práxiológico produzido no campo fértil da vida e das lutas empreendidas pelos movimentos de resistência, por levantes de ativistas que têm contribuído para renovar o campo conceitual e teórico a partir de uma reflexão política sobre a vida. Espera-se, assim, aprofundar o debate crítico sobre as políticas, os conflitos sociais, o processo histórico de transformação de territórios, e as lutas sociais no contexto de conjunturas de crise econômica, sanitária, de democracia e de direitos.

Ressaltamos ainda o interesse em ampliar os intercâmbios de pesquisa e reflexões nos estudos internacionais para imprensar o campo das humanidades sob outras epistemologias vindas das raízes do conhecimento produzido na América Latina. Refletir sobre as lacuna no pensamento social latino-americano, tributário ainda da ciência produzida na Europa e nos Estados Unidos. Este esforço de pensar e produzir rupturas epistemológicas sob outros olhares é um desafio e ao mesmo tempo uma possibilidade. Razão fundamental do tema central do SIALAT 2020/21 ser Democracia, Natureza e Epistemologias para pensar o amanhã.

Edna Castro
Coordenadora do Grupo de Pesquisa Estado, Trabalho, Território e Mercados Globalizados
GETTAM/NAEA/UFPA

3º Seminário Internacional América Latina: Conflitos e Políticas Contemporâneos